#ad

24 de set de 2015

[27/09/2015] A Orquestra Sinfônica de São José dos Campos apresenta “Concerto para Primavera”



A Primavera é o despertar da natureza que sai de seu repouso de Inverno e traz um renascer, uma renovação da vida pelas cores e sons.  A Orquestra Sinfônica de São José dos Campos e Seus Convidados trazem a música para celebrar a Primavera na Praça do Aquárius numa noite de encantamento musical e exuberância rítmica. A voz de grandes solistas se funde ao brilho da OSSJC, num delicioso programa que mistura o jazz, a ópera, a música clássica e a música para ballet. Essa noite especial será um evento aberto, no dia 27 de setembro às 18h, na Praça Ulisses Guimaraes, S/N, em São José dos Campos – SP. 


Ajude a Divulgar!! Curta!!!
A Orquestra abrirá  concerto com Vozes da Primavera de Johann Strauss  com uma das mais famosas valsas vienenses, composta para homenagear essa estação. Em seguida será apresentada a música do balé O Pássaro de Fogo, composta por Igor Stravinsky. A Companhia Ballet Russes, estreou esse espetáculo, baseado no homônimo conto folclórico, em Paris, em 1909. A temporada do balé foi aclamada pela crítica e pelo público francês na ocasião. A música de O Pássaro de Fogo é exuberante, inventiva, melodiosa e fantasiosa, como a Primavera.

A OSSJC apresentará por fim, uma seleção de canções da ópera Porgy and Bess (lançada em 1935), do americano George Gershwin. Esta é uma das óperas americanas mais celebradas do séc. XX, trazendo ao público o estilo “ópera folk”, já que o espetáculo original trata dos embates sociais típicos do Sul dos Estados Unidos. Para essa parte do programa, a Orquestra receberá ao palco: Edna D’Oliveira, Edineia de Oliveira e Alessandro Santana cantores que se destacam como os mais expressivos no cenário lírico brasileiro.   Após 3 anos, a OSSJC volta à Praça Ulisses Guimarães, no Parque Residencial Aquarius, contando com uma nova e calorosa recepção da comunidade, em uma noite de música, renovação e é claro, Primavera.

O Concerto para Primavera têm o apoio da Porto Seguro, Orthoservice, Univap, Pirâmide Imóveis, Huesker, Laboratório Oswaldo Cruz, APROESP, Policlin, Troina, Flor de Ypêe Floricultura Tsuji.

Programa:
Johann Strauss - Vozes da Primavera
Igor Stravinsky - Suíte "O Pássaro de Fogo"
George Gershwin - Porgy and Bess incluindo a famosa canção Summertime

Regência: Marcello Stasi

Solistas:
Edna D'Oliveira (soprano)
Edineia Oliveira (mezzosoprano)

 Alessandro Santana (barítono)

EDINEIA DE OLIVEIRA – Mezzo soprano

Bacharel em canto pela UNESP teve como principais professores Neide Thomas, Fernando Carvalhaes, Carmo Barbosa (Brasil), fez aperfeiçoamento com Katherin Green (USA). Sua carreira internacional inclui os papéis Ébole em Don Carlo (Argentina), Carmen no papel título (TMRJ), Amneris em Aida(Argentina), Azucena em Il Trovatore(Mexico), Serena em Porg and Bess(TSP), Réquiem de Verdi em seus trabalhos mais recentes com sucesso absoluto de publico e critica, apontam a mezzo mineira como uma das vozes brasileiras mais proeminentes no cenário nacional e internacional.

Possui um vasto repertorio lírico e sinfônico, sob a batuta de renomados maestros como Lorin Mazel na Nona Sinfonia teatro Municipal do RJ, Eiji Owe Em Jeremiah Sala São Paulo, Ligia Amadio em Lieder eines Fahenden Geselen-Colombia, Isaack Karabtchevsk em Segunda sinfonia de G. Malher Sala São Paulo e Fabio Mechetti Sala Minhas Gerais, Allester Willians em Sea Pictures Sala Cecília Meireles, Ligia Amadio e Tulio Colaccioppo em Requiem de Verdi em teatro Municipal de São Paulo e Municipal de Mendoza, respectivamente, Guilherme Bernstein em Stabat Mater, Paixões Segundo S. João e Mateus, O messias e muitas outras obras.


Detentora do Prêmio Carlos Gomes, dentre outras operas de repertório alem das já citadas estão Adalgisa de Norma, Zia principezza em Suor Angélica, la Frugola em Il Tabarro,Zita em Gianni Schichi,Irma em Bug Jargal,Baiana em Pedro Malazarte,Santuzza e Lola em cavaleria Rusticana, Dalila em Sansão e Dalila, Serena em Porg and Bess,Carmen e etc.

EDNA D’OLIVEIRA – soprano

Um dos mais importantes sopranos na cena lírica brasileira, aclamada por suas interpretações de Villa-Lobos, especialmente das Bachianas Brasileira nº 5 e das Canções da Floresta do Amazonas e vem interpretando estas obras nas principais salas brasileiras e no EUA, onde foi chamada de “a Kathleen Battle brasileira”, após sua estreia no festival Brazilian Classics do Arhst Center of Miami. Seu repertório operístico incluiu Rigoletto (Gilda), A Flauta Mágica(Pamina e Papagena), Elisir d´Amore(Adina) , O Empresário(Silverklang), Chapéu de Palha de Florença , O Morcego, entre outras, todos com sucesso absoluto de público e crítica. Seus recentes triunfos no palco lírico foram Bess (Porgy and Bess) e o de Madalena (Andrea Chenier), Alice Fod(Falstaff). Seu repertório de música orquestral inclui a Petite Messe Solennelle(Rossini), Réquiem e as Missas em Dó menor e Da Coroação de Mozart, Carmina Burana, 5. Sinfonia de Mahler,entre muitos outros títulos. Participou de várias edições do Festival Amazonas de Ópera em Manaus e Belém do Pará. Trabalhou com os mais renomados regentes nacionais internacionais como Alastair Willis, Fabio Mechetti,, John Neschling, Apo Shu, Minczuck, Malheiro, Karabtchevsk, entre outros e à frente de orquestras como a MIAMI ORCHESTRA, OSB, OSESP, OFMG, OSBM, OPES, entre muitas outras.

Aperfeiçoou-se na Inglaterra em Opera Performance com os maestros Alex Imgram e Lionel Friend, da Ópera Nacional Inglesa. Aperfeiçoou-se na Alemanha em lieder e canto em Viena com o soprano Eliane Coelho. Gravou a Floresta do Amazonas com a Filarmônica de Minas Gerais e encenou esta mesma obra no Festival de Amazonas de Ópera.

LESSANDRO SANTANA

Alessandro Santana, natural de Vitória-ES, bacharel em música com habilitação em canto pela Faculdade de Música do Espírito Santo, vem se destacando como cantor lírico capixaba e iniciando sua carreira internacional, realizando inúmeras apresentações como solista. Dentre as mais significativas estão a ópera O Reino de Duas Cabeças, de Jaceguay Lins; o Réquiem KV 626, de Mozart; a obra Magnificat, de Bach; a Grande Missa em dó menor kV 427, de Mozart; a ópera La Serva Padrona, de Pergolesi, no papel de Uberto; a Nona Sinfonia, de Beethoven; a Fantasia para piano, coro e orquestra, de Beethoven; a ópera Il Campanello, de Donizetti, interpretando Don Anníbale; o Oratório As sete últimas palavras de Cristo, de Theodore Dubois; a ópera in concert – La traviata, de Verdi no papel do Marquesi; a cantata Der Schulmeister, de Telemann; o Réquiem e Te Deum do Padre José Maurício; a ópera Gianni Schicchi, de Puccini, no papel de Simone, o Messias de Handel e a Missa da Coroação de Mozart, a ópera Viúva Alegre no papel do barão Zeta, a ópera La bohemè, de Puccini, no papel de Colline, participou do projeto “ópera em três tempos” cantando o papel do Colagianni da ópera Il maestro di música, de pergolesi e o papel do Primo Ribeiro da Òpera “Sarapalha” de Harry crowl e  foi solista convidado para cantar o Stabat Mater de Rossini  e a ópera Pagliacci de Leoncavallo no papel de Silvio,Requiem de Brahms, o papel de Don Alfonso na ópera cosi fan tutte de Mozart fez ainda o Bonzo na ópera madama Butterfly e Dom Basilio na Ópera Il Barbieri di Siviglia.  Em trabalhos internacionais realizou concertos em Buenos Aires com a orquestra de câmara de ouro preto, com a obra “Matinas do Sábado Santo” de Lobo de Mesquita e à bordo dos navios Costa Mágica e Costa Fortuna cantou ao lado da renomada cantora Edna D’Oliveira por parte da América Latina

Em Vitória, atuou ainda como solista nos concertos “Laudate Dominum”, “Vitória na Ópera”, “Canto Solidário” e “Noite Lírica” ambos realizados no Teatro Carlos Gomes; “Cortina Lírica”, no Teatro Scav; e “Semana Lírica”, dirigida pelo professor Paulo Mandarino, no teatro da UFES e o Concerto lírico regido pelo maestro Silvio Viegas(RJ).

No ano de 2008 foi premiado com uma menção honrosa de melhor interprete de música brasileira no concurso Áurea Adnet realizado pela FAMES. Apresentou-se sob a regência dos maestros Helder Trefzger (ES), Sérgio Dias(ES), Modesto Flávio (ES), Alexandre Lopes(ES), Sanny Souza(ES),  Mário Mateus (Portugal) e André Cardoso(RJ), Sérgio Oliva(Itália),Sivio Viegas(RJ); Rodrigo Toffolo(MG) e Isaac karabtchevsky à frente da Orquestra Filarmônica do Espírito Santo, da orquestra de câmara Camerata, da orquestra de câmara da Faculdade de Música do Espírito Santo e do grupo Domini Maris.

Iniciou seus estudos com o Professor Márcio Neiva (ES),e fez aperfeiçoamento também com Franco Iglesias (EUA), Paulo Mandarino (SP), Antônio Salgado (Portugal) e Lício Bruno (RJ) e atualmente faz um aperfeiçoamento específico técnico e fisiologia da voz com Edinéia de Oliveira (SP).

SOBRE A OSSJC

A Orquestra Sinfônica de São José dos Campos foi criada em 2004 e, atualmente, é mantida pela Prefeitura Municipal de São José dos Campos, através da Fundação Cultural Cassiano Ricardo, tendo a AJFAC (Associação Joseense para o Fomento da Arte e da Cultura) como entidade gestora. Conta também com o apoio das empresas Huesker, Laboratório Oswaldo Cruz, Hospital e Maternidade Policlin, APROESP, Gráfica Copcentro e com a promoção do Jornal O Vale e da Rádio Jovem Pan.                                                                                
Informações: www.orquestrasjc.org.br e facebook.com/orquestrasjc


"Os Eventos são de inteira responsabilidade dos envolvidos (estabelecimento, artistas...), a Agenda Cultural apenas divulga o que nos é passado. Eventos sujeitos a alteração de data, horário e local. Mais informações favor confirmar com o local indicado. Muito Obrigada."  


PARCEIROS: