#ad

2 de dez de 2016

[02 a 04/12/16] Programação do fim de semana no SESC SJCampos


Déo Lopes, Foto: Leticia Kamada
Avenida Adhemar de Barros, 999, Jardim São Dimas

Horário de funcionamento:  terça a sexta 13h às 22h  sábados, domingos e feriados 10h às 19h  
Ajude a Divulgar!! Curta!!!
04/11 a 20/01

Exposição: Ramis Melquizo | Persistência da Arte Sobre a Vida (grátis)

O artista apresenta, por meio das obras, a sua visão única de mundo e inserção na realidade da vida com apropriação, lucidez e
inteireza. Um olhar limpo e apaixonado sobre a beleza feminina, a interpretação do real e abstração do que é supérfluo. Neste recorte
expositivo estão presentes estas três vertentes constantes em todas as fases de sua vida.

Visitação durante o horário de funcionamento do Sesc.

Área de Exposição. Grátis.

02/12 - Sexta

Música: Déo Lopes (grátis)
19h30

O cantor e compositor mineiro, radicado em São José dos Campos, apresenta o espetáculo ‘Cantando a gente se tece - Crônicas do Brasil nas canções de Deo Lopes’. No repertório, um apanhado de quase 40 anos de carreira, registrados no livro homônimo escrito por Moacyr Pinto e que inclui letras e partituras de 25 músicas compostas entre 1977 e 2015.

Com Deo Lopes (voz), Márcio Oliveira (violão), Cauique Bonsucesso (acordeão), Egelson Lira, (bandolim/cavaquinho/violão/ flauta).

Convivência. Grátis.

Música: Imani Winds (EUA) (pago)
21h

O Imani Winds é hoje um dos mais bem sucedidos grupos de música de câmara dos Estados Unidos. Desde 1997, o quinteto traçou um caminho único, unindo performances de alto nível a uma programação culturalmente engajada (a maioria de seus integrantes é negra e atuante na causa), além de colaborações ousadas e programas de extensão. Dois dos membros do grupo – Valerie Coleman e Jeff Scott – são compositores, e desde 2008 o Imani possui o Projeto Encomenda de Legado (Legacy Commissioning Project), no qual financia, monta e realiza turnês com novas obras para quintetos de sopros escritas tanto por compositores estabelecidos como emergentes e de diversas origens musicais. Dessa forma, enriquecem o repertório para quinteto, enquanto fazem uma ponte entre as tradições da Europa, América, África e América Latina. Outro campo de atuação importante do Imani Winds é a educação. O grupo participa de residências por todo os EUA dando masterclasses, e em 2010 lançou um festival anual de música de câmara. O programa, agora em seu sexto ano, reúne jovens instrumentistas de toda a América do Norte.
A grande variedade de programas que o Imani Winds executa é mais um atestado de sua vontade de expandir o repertório comumente tocado e escutado. Ele vai de Mendelssohn a Jean Françaix, György Ligeti, Luciano Berio, Astor Piazzolla, Elliott Carter e John Harbison, procurando incorporar ativamente novas músicas e novas vozes ao idioma da música clássica moderna.

Duração: 70 minutos (com intervalo de 20 minutos).

PROGRAMA

Valerie Coleman (1970)
Red Clay & Mississippi Delta (2009 / ca. 5’)
Elliott Carter (1908-2012)
Quinteto para Sopros (1948 / ca. 9’)
Allegretto
Allegro Giocoso
Carl Nielsen (1865-1931)
Tema con Variazioni, do Quinteto para sopros Opus 43 ( 1922 / ca. 11’)
Paquito D’Rivera (1948)
A Farewell Mambo (2013 / ca. 9’)

Intervalo

Heitor Villa-Lobos (1887-1959)
Quinteto em Forma de Choros (1928 / ca. 12’)
György Ligeti (1923-2006)
Seis Bagatelas para Quinteto de Sopros (1953 / ca. 15’)
Allegro con Spirito
Rubato. Lamentoso
Allegro Grazioso
Presto Ruvido
Adagio. Mesto
Molto vivace. Capriccioso
Astor Piazzolla (1921-1992) / arr. Jeff Scott (1967)
Fuga y Misterio  (1968 / ca. 8’)

Sobre o programa:

Duas características se destacam de imediato neste programa do Imani Winds: ele está voltado para compositores do continente americano e para obras do século XX. Uma peça da flautista do grupo, Valerie Coleman, abre o concerto: Red Clay & Mississippi Delta é um scherzo que, segundo a autora, faz referências a suas memórias em família no Mississipi, misturando o universo clássico com o dialeto do blues. Na sequência temos Elliott Carter, um dos mais importantes compositores da história dos Estados Unidos. Seu Quinteto para Sopros foi escrito no final da década de 1940, um período de profunda mudança no estilo composicional do autor. Do dinamarquês Carl Nielsen é a obra mais antiga do programa, o Tema com Variações do Quinteto Opus 43. A primeira parte se encerra com o compositor, clarinetista e saxofonista cubano Paquito D’Rivera. Paquito não é apenas um estupendo músico de jazz como também um respeitado artista clássico, com composições que misturam as mais variadas influências. A Farewell Mambo foi escrita em homenagem a um amigo, falecido em 2013.
Se a primeira parte traz um grande nome da música clássica dos EUA, na segunda temos o mais importante compositor brasileiro. O Quinteto em Forma de Choros, de Villa-Lobos, integra um conjunto de 16 obras para formações variadas que vão do instrumento solo à grande orquestra e que representam um dos pontos mais altos da criação do autor, na qual ele mistura elementos arrojados da linguagem clássica com a música tradicional e popular urbana do Rio de Janeiro. As Seis Bagatelas para Quinteto de Sopros de György Ligeti são uma adaptação em seis partes de sua Música Ricercata para piano, e foram escritas na época em que o compositor ainda vivia na Hungria. O programa do Imani Winds se encerra com a popular Fuga y Misterio, de Astor Piazzolla, que é um trecho instrumental de sua primeira “operita”, María de Buenos Aires, escrita em 1968.

FORMAÇÃO:

Valerie Coleman - flauta / compositora
Toyin Spellman-Diaz - oboé
Mark Dover - clarinete
Jeff Scott - trompa / compositor
Monica Ellis - fagote

R$9,00 R$15,00 R$30,00

03/12 - Sábado

Música: Hammond Grooves Trio (grátis)
18h

O trio mescla jazz, funk, boogaloo com ritmos brasileiros (maracatu, samba, baião, frevo), criando seus temas autorais. Há espaço também para músicas que ficaram conhecidas nesta formação de organtrio, homenageando os mestres Jimmy Smith, Wes Montgomery, Jack McDuff, Reuben Wilson, Dr. Lonnie Smith, Jimmy McGriff, Grant Green, Big John Patton, Earl Grant, George Benson, Walter Wanderley, entre outros.

Com Daniel Latorre (órgão Hammond), Filipe Galadri (guitarra) e Wagner Vasconcelos (bateria).

Convivência. Grátis

Música: Vox Luminis (BEL) (pago)
20h

O conjunto Vox Luminis foi criado em 2004, em Namur, na Bélgica, e é especializado na música vocal dos séculos 16 ao 18. O grupo costuma ser elogiado por sua combinação perfeita de vozes de grande qualidade individual, bem como pela afinação e clareza do som. A maior parte dos integrantes do Vox Luminis se conheceu no Conservatório Real de Haia, um dos mais importantes centros de música antiga da Europa. Presença frequente em grandes festivais, o Vox Luminis grava com exclusividade para o selo belga Ricercar. A primeira gravação do conjunto, lançada em 2007, apresenta quatro obras vocais de Domenico Scarlatti, incluindo o famoso Stabat Mater. Em 2010 o conjunto lançou seu segundo álbum: “Samuel Scheidt: Sacrae Cantiones”, que traz várias estreias mundiais modernas. Em 2012, a gravação de Musicalische Exequien de Heinrich Schütz garantiu ao Vox Luminis vários prêmios, incluindo os de Gravação do Ano e Gravação Barroca Vocal, ambos da Revista Gramophone. O último disco do grupo, lançado em 2015, traz os motetos completos da família Bach. Lionel Meunier, o fundador do grupo, nasceu na França. Apaixonado por música desde a infância, começou sua educação musical na escola local em sua cidade natal, Clamecy, estudando solfejo, flauta doce e trompete. Já na graduação, passou a focar sua carreira no canto e, após se aperfeiçoar no Conservatório Real de Haia, Meunier integrou diversos conjuntos, com destaque para o Collegium Vocale Gent. Dessa experiência nasce a vontade de fundar seu próprio ensemble, o que se concretizou com a criação do Vox Luminis.

Duração: 80 minutos (com intervalo de 15 minutos).

PROGRAMA

"Puer Natus in Bethlehem” (O menino nasceu em Belém)
Samuel Scheidt (1587 - 1654)
Das alte Jahr vergangen ist (ca. 5’45”)
Johann Michael Bach (1648 - 1694)
Sei, lieber Tag, wilkommen (ca.5’)
Nun treten wir ins neue Jahr (ca.3’30”)
Anunciação
Heinrich Schütz (1585 - 1672)
Deutsches Magnificat (ca.8’)
O lieber Herre Gott (ca.3’30”)
Johann Michael Bach
Fürchtet euch nicht (ca.3’30”)
Johann Hermann Schein (1586 - 1630)
Von Himmel Hoch (ca.4’)
Michael Praetorius (1571 - 1621)
Wie Schön leuchtet der Morgenstern (ca.3’30”)
Natividade
Samuel Scheidt
Puer natus in Bethlehem (ca.1’20”)
Heinrich Schütz
Hodie Christus natus est (ca.7’)
Samuel Scheidt
Jauchzet Gott alle Land (ca.6’45”)
Heinrich Schütz
Ein Kind ist uns geboren SWV 384 (ca.3’30”)
Andreas Hammerschmidt (1611 – 1675)
Freude, Freude, Grosse Freude (ca.5’)
Adoração
Johann Pachelbel (1653 - 1706)
Singet dem Herrn (ca.3’)
Michael Praetorius
Angelus ad pastores ait (ca.3’45”)
Hieronymus Praetorius (1560 - 1629)
In dulci Jubilo (ca.4’)
Samuel Scheidt
Ach mein herzliebes Jesulein (ca.4’)
O Jesulein Süß, O Jesulein Mild (ca.4’)

Sobre o programa:

Como fio condutor deste programa, o Vox Luminis empresta o nome de uma peça de Samuel Scheidt, “Puer Natus in Bethlehem” (O menino nasceu em Belém). O mote serve para conduzir alguns momentos-chave do nascimento de Cristo a partir de obras de autores germânicos do século 17, que estão divididas em quatro momentos do programa: “Advento – Ano novo”, “Anunciação”, “Natividade” e “Adoração”.

Scheidt, o compositor mais presente, foi também um organista e se destacou tanto na música para teclado quanto na música vocal sacra, sendo que seu trabalho se situa esteticamente entre o final do Renascimento e o início do Barroco. Esta mesma definição cabe também para outros dois compositores presentes no programa, cuja obra se concentra na primeira metade do século 17: Heinrich Schütz e Johann Hermann Schein. Os três compositores alemães nasceram praticamente ao mesmo tempo e foram inclusive amigos. Juntos, ajudaram a forjar uma nova identidade para a música alemã, combinando a tradição coral germânica e o contraponto dos corais luteranos com as inovações estilísticas que emergiam na Itália.

Nascido em uma família de músicos de Hamburgo, Hieronymus Praetorius é de uma geração anterior e notabilizou-se como compositor de música sacra, escrevendo mais de 100 motetos, alguns deles as primeiras obras policorais de inspiração veneziana publicadas no norte da Alemanha. Já Michael Praetorius – que não possui parentesco com Hieronymus – foi um dos músicos mais versáteis e prolíficos de sua época, deixando mais de mil obras e notabilizando-se também como teórico musical. Com atuação concentrada na segunda metade do século 17 estão os demais compositores do programa: Andreas Hammerschmidt, grande representante do estilo sacro alemão em meados desse século; Johann Michael Bach, pai da primeira esposa de Johann Sebastian Bach (e tio-avô do grande compositor); e Johann Pachelbel, que alcançou grande sucesso em vida como compositor, professor e organista.

Vox Luminis – integrantes:

Lionel Meunier, direção
Jorge López-Escribano, órgão
Ricardo Rodriguez Miranda, gamba
José Rodrigues Gomes, dulciana (fagote renascentista)

Sopranos
• Zsuzsi Tóth
• Stefanie True
• Victoria Cassano

Contratenor/ contralto
• Barnabas Hegyi
• Jan Kullmann

Tenores
• Philippe Froeliger
• Olivier Berten
• Robert Buckland

Baixos
• Sebastian Myrus
• Lionel Meunier

Duração: 70 min.

R$12,00 R$20,00 R$40,00

04/12 - Domingo

Infantil: O Menino que Enxergava com o Coração (pago)
15h

Jonas é um menino que enxerga a vida pelo coração, mas isso não o impede de enxergar além. Em companhia de sua inseparável amiga, a atrapalhada Clara, eles irão se meter na maior confusão tentando ajudar Arielus a encontrar o Tridente de Netuno que foi roubado pelo temido pirata Estripabucha.

Com a Cia Balaco do Bacco.

Auditório. 126 lugares. A partir de 4 anos. Com tradução em Libras.

Circo: O Circo (grátis)
16h30

ESPETÁCULOS O CIRCO Três palhaços, figuras centrais do espetáculo, perdidos e sem dinheiro resolvem fazer um show de variedades. Apresentam o circo de pulgas, o mágico, o equilibrista, os acrobatas e o homem mais forte do mundo. O Circo é um espetáculo no formato circo-teatro com encenação dinâmica e envolvente.

Com Cia Entre Aspas.

Solário. Grátis


"Os Eventos são de inteira responsabilidade dos envolvidos (estabelecimento, artistas...), a Agenda Cultural apenas divulga o que nos é passado. Eventos sujeitos a alteração de data, horário e local. Mais informações favor confirmar com o local indicado. Muito Obrigada."  


PARCEIROS: